sábado, 12 de fevereiro de 2011

Prepotência.

Tarsila, presa. Chora, muito mais que chora, expõe a tristeza. Ela nunca soube o que fazer com ela mesma, àquele beco escuro, àquela noite quente, àquela saída rápida, àquele homem, brutamonte que a invadiu, ela deve a isso tudo o que expõe agora. Todas as vezes que teve que te contar, e todos os dias que passa por ali, as lembranças são as mesmas, e o coração bate exatamente igual. Só que no lugar do brutamonte e de seu frágil corpo há manchas de seu próprio sangue, que a velha moribunda nunca se preocupou em lavar, e as lembranças dos piores quarenta e dois minutos de sua vida – que pareceram uma eternidade – continuam flutuando lá. Tudo está ululantemente visível, mas muda o dia.
E a quem recorrer? A quem rezar, Tarsila? Ninguém te ouviu, ou ouviria. As pessoas ficam surdas de repente, eu nunca te disse isso? Surdas, cegas e mudas. Prepotentes. Não se sinta assim, por mais que a culpa tenha sido sua, por mais que você poderia ter corrido. Você não correu, ou correu? Você gritou, disso eu sei. Eu ouvi. Eu estava lá, mas não pude fazer nada, Tarsila, te juro. Deus deu o livre arbitro para todos, e como seu anjo tudo o que posso fazer é dizer ‘oh, que pena’ e chorar algumas lágrimas por você. Se o nosso Senhor tivesse impedido naquele momento, tivesse separado mares, mandado pragas, ele estaria tirando o livre arbitro do brutamonte, e isso é uma coisa errada, ele estava no direito de brutamonte dele, e quem sofreu foi você.
Não pense agora que os céus são injustos, Tarsila. Não pense que a vida é uma grande merda e não chore mais, passou. E se o roxo do braço não passou, passará. E se sua mãe ainda chora e seu pai ainda está vermelho de raiva, você não deveria ter contado. Deverias ter guardado cada pingo de sentimento ruim dentro do seu coração, você acha que é justo fazer isso com sua mãe? Mas como disse, tudo passará. Ainda confie em Deus, garota, pois no dia do juízo final, mas somente neste dia, a justiça será feita. Menos se o “livre arbitro” continuar valendo, e se valer, corra. Às desgraças devemos os melhores planos, à ausência e aos maus sentimentos, as melhores canções. Tarsila! Aprenda que agora você virará alguém muito mais fechada, calada e triste. Por vezes melancólica demais e com tendências a achar que ninguém no mundo te quer, de fato. Que anjo seria eu se não te contasse a verdade? Num filme, um rapazinho muito bacana iria chegar até você e cuidar de você como se fosse uma flor pronta a desabrochar, mas não. Ninguém quer uma menina perturbada assim, ninguém. Além de triste, será sozinha. Mas estes são apenas os conselhos mágicos de um anjo mau. Seu anjo da guarda. Espero que esse filme repita muitas vezes em sua cabeçinha vazia, Tarsila.

3 comentários:

  1. sou eu o "caiçara" heuheuh tem orkut?

    ResponderExcluir
  2. Pequeno Caiçara aqui vai o exercício de mat que você perdeu:
    "Estudar detalhadamente as funções:
    a.)y=-x²+a
    b.)y=x²+2 (tem função sim, o delta dá negativo, mas tem função hein.)
    c.)y=x²-2x+1 (o delta dá zero, mas também tem função e ela não encosta no zero.)

    ResponderExcluir
  3. n entendi nda! n tem numero nao?

    ResponderExcluir